Todos os dias a cidade tem novidades. Sonhos e acções que devem ser contados. Um serviço para Sapo.pt
12 de Julho de 2008

O Alto de São Bento é o local que acolhe, no dia 12 de Julho, entre as 16h00 e as 18h00, a próxima sugestão da programação das “Tardes de Soalheira, Noites ao Relento”, uma iniciativa da Câmara de Évora que todos os sábados, de 5 de Julho a 6 de Setembro, convida as famílias do concelho a sair de casa e a participar em actividades científicas, de investigação ou de descoberta da paisagem e das riquezas ambientais.

“O Investigador da Flora” é então a proposta das “Tardes de Soalheira, Noites ao Relento” para o sábado que se aproxima, dia 12 de Julho, que vai decorrer nos percursos da florística do Núcleo Museológico do Alto de São Bento. Os participantes vão ser convidados a observar as várias espécies vegetais do bosque local e os aspectos da sua ecologia, relacionando o ciclo das plantas com o ciclo climático anual.

A participação nesta actividade, como em qualquer uma outra das “Tardes de Soalheira, Noites ao Relento”, é gratuita e requer apenas uma inscrição prévia, que pode ser feita pelo telefone 266777100 ou pelo endereço electrónico cmevora.projeducativo@mail.evora.net. O programa pode ser consultado no site da Câmara Municipal.

Até 6 de Setembro, as “Tardes de Soalheira, Noites ao Relento” percorrem vários locais do concelho, mas o Alto de São Bento, em concreto o seu Núcleo Museológico, volta a receber actividades desta iniciativa nos dias 9 e 30 de Agosto. Desta forma, a Câmara de Évora rentabiliza e dá a conhecer este espaço à população em geral, um recurso actualmente mais conhecido pela comunidade escolar mas que a autarquia quer enfatizar estar à disposição de todos.


O Núcleo Museológico do Alto de S. Bento
O maciço granítico e a riqueza florística existentes no Alto de S. Bento, bem como a carga histórica e a beleza paisagística do local, fazem deste sítio o mais imponente miradouro natural da cidade. Valores naturais que estiveram na origem de um projecto educativo municipal que levou à criação do Núcleo Museológico do Alto de S. Bento.

Através deste projecto, a Autarquia não só contribuiu para valorizar e qualificar o património natural e cultural do Alto de S. Bento, como colocou ao serviço da educação um espaço organizado e equipado, que tem desempenhado um importante papel na sensibilização e incentivo das crianças e jovens do concelho para o estudo e preservação do património natural, na promoção do ensino experimental das ciências naturais e também no fomentar da relação escola-meio.

O projecto educativo municipal de reconversão do Alto de São Bento transformou dois dos antigos moinhos ali existentes em laboratórios de ensino experimental da geologia, da biologia e da ecologia, e procedeu a arranjos numa casa contígua aos moinhos e em toda a zona exterior envolvente.

No findo ano lectivo 2007/2008 cerca de três mil alunos de todo o concelho participaram nas sessões do Núcleo Museológico do Alto de S. Bento, as quais para o pre-escolar e para os 1.º e 2.º ciclos de ensino básico constam de actividades sobre os temas: água, ar, astros, rochas e minerais, princípios de orientação espacial, plantas e solo. Nas sessões realizadas com alunos de 3.º ciclo de ensino básico e do ensino e secundário os temas são: o granito do Alto de S. Bento e a ecologia vegetal.

Porém, mais do que os números, as reacções de alguns professores, recolhidas na avaliação feita pelos técnicos municipais responsáveis pelo funcionamento do Núcleo Museológico do Alto de S. Bento, ilustram o impacto do trabalho ali desenvolvido. De entre os muitos depoimentos registados podem destacar-se os seguintes: “O facto dos alunos saírem da sala de aula é importante, assim como o é importante a interacção com outras pessoas e outros espaço”; “As actividades são ajustadas e perfeitamente adequadas ao currículo escolar dos alunos; “As actividades desenvolvidas são muito relevantes para o conhecimento teórico-prático das formações geológicas e da vegetação da região onde a escola está inserida”.

O Núcleo Museológico de Alto de S. Bento, através dos seus subnúcleos da geologia, da florística e da expressão plástica, está ao serviço das instituições educativas e de ensino do concelho, durante os períodos lectivos, sempre com lotação esgotada.

Mas, as estações de observação da geologia, bem como os percursos sinalizados, que a Autarquia criou neste local, e que podem ser descobertos e percorridos a pé ou de bicicleta, estão disponíveis para toda a população, em permanência, durante todo o ano. Assim, para dar a conhecer e revigorar estas estruturas, a Câmara de Évora trouxe até ao Alto de São as “Tardes de Soalheira, Noites ao Relento”.
 

publicado por EOL às 07:00
tags: ,
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
20
21
22
24
25
27
28
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
"Emigração" é já hoje a palavra de ordem... Infeli...
Agradece-se publicidade ou colaboração na divulgaç...
Sem demérito para a citada, informo que a D. Ferna...
blogs SAPO