Todos os dias a cidade tem novidades. Sonhos e acções que devem ser contados. Um serviço para Sapo.pt
29 de Janeiro de 2010

O plano de actividades e o orçamento da Câmara de Évora para este ano foram aprovado quarta-feira à noite. Os documentos, que ascendem a 81 milhões de euros, são caracterizados pelo presidente da município, José Ernesto Oliveira, como "rigorosos e ambiciosos". “É de rigor porque a situação financeira que os municípios em geral passam obriga a que a gestão da coisa pública seja feita com muita atenção, pragmatismo e com uma definição clara das prioridades e dos objectivos”, afirmou o autarca. Por outro lado, acrescentou, “é de ambição porque, apesar da situação difícil, é preciso não abrandar o nível de investimento e a dotação de infra-estruturas necessárias”. Por sua vez, o vereador comunista Eduardo Luciano afirmou que “a receita de 81 milhões é perfeitamente irrealizável”, explicando que o orçamento, proposto pelo executivo socialista, admite gerar receita com a venda de terrenos do município. “Não se percebe como é que, num momento de grande crise, se vendem terrenos”, questionou. O vereador da CDU sustentou ainda que este orçamento “tenta tapar as dificuldades financeiras da câmara e que não reflecte qualquer ambição e proposta credível para o território”. Já o vereador do PSD António Costa Dieb frisou que o plano de actividades e o orçamento para este ano não satisfazem, explicando a abstenção na votação com a necessidade de “assegurar o normal funcionamento da instituição”. “Um orçamento acima de 80 milhões de euros, tendo em conta o histórico de receita do município, é incomportável”, considerou o vereador social-democrata, destacando a redução de 83 milhões (proposta inicial) para 81 milhões de euros. “Nós propusemos que o orçamento de despesa andasse na ordem dos 50 milhões. Apesar do nosso esforço e de um sinal positivo que foi dado, é manifestamente insuficiente”, afirmou. O plano e o orçamento da autarquia receberam contributos do vereador do PSD, entre os quais a instalação de um balcão único municipal e a criação de um portal ambiental na Internet. Os documentos foram aprovados graças ao voto de qualidade do presidente da autarquia, já que os três vereadores do PS votaram a favor e os três vereadores da CDU contra, tendo o único eleito do PSD optado pela abstenção.
 

por Sérgio Major na DianaFM

publicado por EOL às 15:23
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
"Emigração" é já hoje a palavra de ordem... Infeli...
Agradece-se publicidade ou colaboração na divulgaç...
Sem demérito para a citada, informo que a D. Ferna...
blogs SAPO