Todos os dias a cidade tem novidades. Sonhos e acções que devem ser contados. Um serviço para Sapo.pt
08 de Março de 2008

A Associação Eborae Mvsica está a promover o VI Ciclo Concertos “A Quaresma na Escola de Música da Sé de Évora”. No passado fim da semana cerca de trezentas pessoas assistiram aos Concertos do Coro Polifónico Eborae Mvsica e Grupo Vocal Olisipo. Nos próximos dias 8 e 9, às 18h00, na Sé de Évora, actuam os Grupos Vocais Officium, direcção de Pedro Teixeira e Kalenda Maya, de Badajoz, direcção de Manuel A. Torrado. Esta iniciativa está integrada nas Comemorações dos 700 Anos da Dedicação da Sé de Évora.

O Ciclo tem como objectivo divulgar o património musical da Escola de Música da Sé de Évora, (sécs. XVI e XVII), que integra um grande número de composições para a Quaresma elaboradas para as inúmeras cerimónias litúrgicas que naquela época ali tinham lugar. Dedica a sua sexta edição a compositores como Duarte Lobo, Francisco Martins, Frei Manuel Cardoso, Estêvão Lopes-Morago, Estêvão de Brito, Diogo Dias Melgas e Filipe de Magalhães.
Programa: dia 8, Grupo Vocal Officium - Obras da Sé de Évora - 1ª parte: In Dominica Quarta Quadragesimæ, motetus a 5 - Accepit ergo Jesus, de Frei Manuel Cardoso; In Dominica Passionis, motetus a 5 - Tulerunt lapides, de Frei Manuel Cardoso; Feria Quinta in Caena Domini - Ecce vidimus eum [II], de Francisco Martins; Feria Sexta in Parasceve, motetus a 4 - Tamquam ad latronem, de Francisco Martins; In Sabbato Sancto, motetus a 4 - O vos omnes, de Francisco Martins; In officio defunctorum - Commissa meã, de Estêvão Lopes-Morago; Heu, Domine, de Estêvão de Brito - 2ª parte: Missa Pro Defunctis, a 6, de Duarte Lobo – Introitus, Kyrie, Graduale: Requiem aeternam - In memoriam, Sequentia - Offertorium: Domine Jesu Christe, Hostias et preces, Sanctus, Agnus Dei I, II e III; Communio: Lux aeterna, Responsorium Pro Defunctis: Memento mei. Dia 9, Grupo Vocal Kalenda Maya, - Polifonia Hispano-Lusa do séc. XVI Obras da Sé de Évora - Audivi Vocem de caelo de Duarte lobo, Ecce mulier Chananea de Manuel Cardoso, Non mortui qui sunt in inferno de Manuel Cardoso, O rex gloriae de Estevao de Brito; Misa pro defunctis de Tomás Luis de Victoria: 1 Taedet animam meam. Lectio II ad matutinum, 2 Introitus. Requiem aeternam, 3 Kyrie, 4 Graduale, 5 Offertotium, 6 Sanctus-Benedictus, 7 Agnus Dei, 8 Communio, 9 Versa est in luctum . Motete e 10 Libera me. Responsorio.

O Grupo Vocal Officium foi fundado em Outubro de 2000 pelo seu orientador Pedro Teixeira; o grupo vocal Officium é um projecto que pretende dar primazia à interpretação de obras polifónicas de compositores portugueses dos sécs. XVI - XVII, dado o vastíssimo património existente – muito dele ainda por descobrir – ao nível da produção musical da época. Apresenta-se regularmente em Concerto no país e no estrangeiro. O Maestro Pedro Teixeira é licenciado em Direcção Coral pela Escola Superior de Música de Lisboa. Foi assistente de Direcção de José Robert no Coro e no Coro de Câmara da Universidade de Lisboa. Dirige, desde Março de 1997, o Coro Polifónico “Eborae Mvsica” e, desde Setembro de 2000 o Grupo Coral de Queluz e o “Officium”- grupo vocal. Recebeu em 2002 o prémio “The most promising conductor of Tonen 2002” na Holanda.
O Grupo Vocal “Kalenda Maya” evoca no seu nome o título de uma canção do trovador francês Raimbaut de Vaqueiras (c1150-1207) e mantém desde 2001 um núcleo fixo de oito cantores vindos de diferentes áreas como o canto, a musicologia, a direcção coral, o piano, etc. Constituiu-se sob a direcção de Carmelo Solís Rodriguez no Coro do Conservatório Superior de Badajoz, direcção que manteve até à sua morte em Abril de 2.001. É relevante que no século XVI foram contemporâneos na cidade de Badajoz, o bispo San Juan de Ribera, o divino Luis de Morales e o polifonista Juan Vázquez, personagens que nos fazem adivinhar a riqueza cultural e artística aqui vivida nesta época. Foi a partir desta ideia que se criou o Grupo Vocal que estruturou o seu reportório essencialmente com obras do séc. XVI. Manuel A. Torrado estudou piano no Conservatório Superior de Badajoz onde concluiu o grau profissional em 2003 com a Professora Maria Eugenia Raya Isla e realiza também a formação na especialidade de canto no Conservatório de Badajoz. Entre outras participou nas Jornadas Coralistas Extremeñas, entre 1997 e 2003 e nas Jornadas Internacionais da Sé de Évora, entre 2002 e 2004. Tem realizado recitais de Canto com a Aula de Canto da Professora Maria Coronada Herrera. Foi membro fundador da Associação Cultural Carmelo Solís Rodríguez em 2003 e do Grupo Vocal “Kalenda Maya”, em 2001. Mais informações em www.eborae-musica.org

Organização: Associação Eborae Mvsica em parceria com o Cabido da Sé de Évora. A Associação Eborae Mvsica é uma Estrutura financiada pelo Ministério da Cultura, Direcção Geral das Artes, Direcção Regional da Cultura do Alentejo. O Ciclo tem o Apoio da Câmara Municipal de Évora, Direcção Regional de Educação do Alentejo, Instituto Português da Juventude, Antena 2, Rádio Diana e Diário do Sul e é co-financiado pela União Europeia através do FEDER.

publicado por EOL às 10:58
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
arquivos
2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
"Emigração" é já hoje a palavra de ordem... Infeli...
Agradece-se publicidade ou colaboração na divulgaç...
Sem demérito para a citada, informo que a D. Ferna...
blogs SAPO